sábado, 31 de dezembro de 2016

Hoje. É hoje

Ludmilla's feelings. Mas infelizmente a proposta hoje aqui é outra. É hoje que o livro interminável acaba. Tem página pela frente. E eu só quero ver esse calhamaço pelas costas.
Então ficamos assim. Virar a noite na função. Não estou com sono. Estou é farta além de qualquer medida.
Agora é encerrar essa pendenga infernal. Depois dormir.
E aí no ano que vem eu vejo o que fazer para comemorar.


Hoje não saí de casa pra nada. Amanhã terei que comprar comida. E encarar o caos. Essa praia está totalmente lotada. Uma barulheira o dia inteiro, mas agora foram dormir. Ótimo.
Desde ontem tô soltinha na esbórnia alimentar. Jantei cachorro-quente (pão, salsicha e mostarda), repeti o cardápio no almoço de hoje. E aí jantei esse cheeseburger fraquinho; esperava algo mais gorduroso e bombástico, mas era um cheese quase light. Francamente. Govinda me aguarde na semana que vem.
Incrível. Tem um funk com uma cornetinha me assombrando. Ouvi a primeira vez na Négina's. E desde então ouço fragmentos da tal cornetinha várias vezes ao dia. Vizinhos ouvindo, pessoal passando de carro. Não sei que música é essa. Mas já virou a trilha da virada. Ainda há pouco estava a cornetinha tocando aqui perto. E tem umas vozinhas também. Quero saber que música é essa.
Bom, vou é fazer um café e voltar ao impagável Napoleon Hill.