domingo, 11 de dezembro de 2016

Lua em Peixes não precisava

A amiga e a filha de 20 anos se amarram em astrologia. E reavivaram meu interesse.
Ester, escorpiana, me zoa direto pela célebre frieza de Capricórnio. 
Quem me dera. 
O ascendente em Áries é fogo.
Aí... a Lua em Peixes... s o c o r r o !
Fica tenso.
Eu me manifesto de um jeito. Que algumas pessoas interpretam de outro. E ainda tenho outra por dentro.  Essa outra é dose. Ultrassensibilidade.
Fiquei pensando na Lua em Peixes ontem de manhã. Tive ideia de escrever alguma coisa sobre isso que já nem lembro. À noitinha resolvi reler meu mapa astral feito pelo programa do site Personare. Nossa! Foi como se lesse pela primeira vez. Se eu não acreditasse em astrologia, ao ler essa análise teria que reconhecer as incríveis "coincidências". Mas é claro que acredito. É uma incrível ferramenta para o auto(re)conhecimento e um mapa do soma.
A leitura dessa análise agora, tão perto do meu aniversário, no inferno astral (que mais que nunca tem a qualidade benéfica de transformação, de limpeza, de purificação, de realinhamento), fez com que eu me olhasse sob um novo ângulo. Vi como eu já fui e como sou agora. Vi as possibilidades a buscar (que já estou buscando) e a evitar (que já estou evitando). E vi possibilidades de certo modo "desconhecidas", para o bem e para o mal. Traços a desenvolver e traços a recalcar.
Comecei a listar as coisas que mais me chamaram a atenção nessa leitura, mas são muitas; decidi não entrar nisso. O bom é lembrar de ler esse mapa de vez em quando pra fazer um check-list.